Mensagens - Catedral da Trindade

  • Sobre Amor, Dedicação e Reconhecimento

    Minha mãe sempre dizia: “você só vai entender sua mãe no dia em que tiver sua filha”. Acho que todo mundo já ouviu isso na vida, pelo menos uma vez. Dito e feito! Isso se cumpriu, assim como tudo o que minha mãe fala.

    Mas a grande verdade é que, com a maternidade, não só comecei a entender minha mãe, mas também passei a compreender tudo aquilo que envolve esta relação. Foi aí, inclusive, que tive uma noção mais concreta da dimensão do amor dela por mim e, sobretudo, da imensidão do amor de Deus para comigo.

    Gerar uma criança nos proporciona o privilégio de conhecer o que verdadeiramente significa o amor incondicional e altruísta. Contudo, também requer de nós uma enorme responsabilidade. Minha mãe foi assim: exatamente por nos amar demais é que escolheu viver uma vida integralmente comprometida com os filhos.

    Abandonou uma profissão promissora, vendeu sua empresa, e se dedicou a nós. Até hoje tem sido assim! Ela realmente não veio à vida a passeio no quesito maternidade. Exerceu e exerce com primor a tarefa de ser mãe e, mais do que isso, de ser uma mãe cristã.

    Com ela, aprendemos a orar, a ter sede da Palavra, a se dedicar ao serviço do Senhor com esmero e responsabilidade, a crer na fidelidade de Deus e no Seu cuidado. Através de seu testemunho de generosidade, me tornei também sensível aos que tem menos, na certeza de que Deus não me faltará, pois é assim que Ele a tem tratado, restituindo tudo o que ela dá.

    Hoje, também como mãe, arde no meu coração o desejo de ser para Lelê pelo menos um pouco do que minha mãe foi para mim, pois terei a plena convicção de que minha filha será uma pessoa honrada, responsável e, sobretudo, uma mulher de Deus.

    Muito obrigada, mãe, por tudo! Por cada acerto, por cada erro, por cada tentativa. O importante é que o saldo foi muito mais do que positivo. Meu desejo é que Letícia tenha orgulho de mim, assim como eu tenho de você.  Amo muito você!

    Paula Gasparini Garcia    

      
  • Unidos no Amor de Cristo

    Os cristãos de hoje precisam aprender mais a caminhar juntos em amor. Manter a união espiritual do povo de Deus é uma responsabilidade de cada cristão. Afinal de contas, nós passamos pelo mesmo nascimento espiritual, adoramos o mesmo Deus, proclamamos a mesma mensagem do Evangelho e estamos andando rumo à mesma cidade celestial.

    Na verdade, a Igreja nasceu unida, como observamos em Atos 2.44-46. Entretanto, quando lemos as Cartas de Paulo, encontramos relatos de rivalidade e divisão. Parece que a situação não mudou nos dias atuais. Hoje também presenciamos conflitos entre “irmãos em Cristo” e percebemos que a grande maioria desses desentendimentos decorre de questões sem relevância.

    Mas essa realidade pode ser transformada. Nós devemos assumir o compromisso de lutar pela unidade da Igreja, de modo que o mundo veja que verdadeiramente estamos unidos no amor de Cristo.

    Essa visão de unidade é um dos fundamentos da Igreja Episcopal Carismática, não só no seu âmbito interno, mas também na sua concepção mais ampla do Corpo de Cristo. Compreendemos que aqueles que são “nascidos de Deus” pertencem à mesma família e devem amar uns aos outros, conforme nos exorta a Palavra do Senhor em 1 João 4.19-21.

    Quando o povo de Deus anda no Espírito, esquece as coisas efêmeras, transitórias e se concentra nas coisas eternas. Os valores do mundo, que nos dividem, acabam cedendo lugar aos valores do Espírito, que habita em nós, promovendo a nossa união e glorificando o nome do Senhor.

    Que Deus nos ajude a caminhar assim, segundo a sua santa vontade.

    Bispo André Novaes     

      
  • Traga à Memória o Que dá Esperança – Lm 3:21

    Qual o efeito que a memória tem sobre nós? Você já pensou nisto? O que está em nossa memória tem o potencial de produzir alegria ou tristeza; satisfação ou frustração; amor ou indiferença; desânimo ou esperança...

    É por isso que o apóstolo Paulo nos adverte: “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento." Filipenses 4:8

    Eu gosto desses textos porque eles nos lembram que temos a decisão de determinar os pensamentos que nos dominam e o resultado deles nos nossos dias, projetos, trabalho e relacionamentos. E isto não é auto ajuda, mas ajuda do alto.

    Nas primeiras aulas para conduzir um veículo, o meu instrutor percebeu que eu estava praticamente paralisado pelo medo daquela máquina “poderosa”.

    Sensível e inteligente, ele disse as palavras que me libertaram daquele temor: “isto é só uma máquina. É você quem domina ela e não ela quem domina você”.

     Àquela atitude de encorajamento produziu em mim a confiança suficiente para logo ser vitorioso e bem sucedido na “arte” de conduzir um veículo.

    Jeremias, o profeta de Deus, e o apóstolo Paulo me dizem a mesma coisa de outro jeito sobre o poder que eu tenho sobre os meus pensamentos. Eu tenho a opção de trazer para a minha cabeça o pensamento que eu quiser! Assim, posso escolher pensamentos de vida e não de morte; pensamentos de comunhão e não de conflito; pensamentos de vitória ao invés de pensamentos de fracasso...

    Assim, eu decido, solenemente, trazer à memória o meu encontro com Jesus, o salvador. Foi ali que a minha vida ganhou sentido e destino certo. O amor de Jesus prevalecerá em meu coração. É o amor dele por mim e por todas as pessoas que eu quero e vou trazer à memória.

    Rev. Marcílio Mota

      
  • A Travessia Segura

    Lemos no Evangelho escrito por São Marcos, no capítulo 4, versículos de 35 a 41, que Jesus, em noite memorável, estava num barco com seus discípulos, atravessando o Mar da Galileia, quando sobreveio uma grande tempestade de vento, provocando ondas furiosas, que ameaçavam afundar a embarcação.

    Esse texto sagrado nos ensina preciosas lições. Aprendemos ali que atravessar a vida com Jesus no barco, embora não signifique ausência de sofrimentos, nem tampouco nos dispense de fazer a nossa parte, significa sim a garantia da vitória final.

    Portanto, se você ainda não decidiu verdadeiramente convidar Jesus para estar no barco da sua vida, faça isso agora. Não deixe Jesus do lado de fora. E quando ele disser: “Passemos para a outra margem”, não duvide. Aconteça o que acontecer, atravesse confiante. Para Jesus não há causa perdida. Ele é o Senhor do impossível. Com Jesus no barco da sua vida, você vai atravessar qualquer tempestade e chegar ao seu destino com segurança.

    Saiba que nada nem ninguém podem evitar que as promessas do Senhor se cumpram na sua vida. As promessas de Deus jamais falham.

    Meu querido e minha querida, o Senhor nosso Deus está com o seu braço forte sobre você. Você crê? Jesus se importa com você. Não tema; confie no Senhor.

    Se você fizer isso, se confiar em Jesus e entregar o seu destino nas mãos Dele, prepare-se para ver um milagre na sua vida. Jesus vai surpreender você.

    Afinal de contas, nenhuma tempestade pode engolir o barco onde se encontra o Senhor dos mares, da terra e do céu!

    Bispo André Novaes 

      
free vector