Mensagens - Catedral da Trindade

  • DEUS: Nosso Refúgio Confiável

    Deus é um refúgio confiável em meio às incertezas da vida, mesmo quando tudo parece estar desmoronando ao nosso redor.                                                       

    Como lemos no Salmo 46, versículo 1: “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações”.

     

    A palavra traduzida por refúgio significa “um abrigo”, ou seja, Deus é aquele que nos protege e defende, em quem nós podemos confiar em qualquer circunstância.

     

    No antigo Oriente Médio, as cidades eram construídas em lugares altos, com altas muralhas, para dificultar a ação dos inimigos. Ainda assim, muitas vezes eram invadidas. No entanto, as defesas de Deus são inexpugnáveis, não podem ser vencidas. Nosso Deus é o Deus Todo-Poderoso, o Deus invencível.

     

    Apesar disso, Deus não pode operar em seu favor a menos que você confie nEle. Você precisa crer no Senhor Jesus, depositar sua confiança nEle, entregar sua vida nas mãos dEle, de modo que Ele possa abençoar você como deseja.

     

    Cristo ama você e já deu a prova definitiva desse amor na cruz. Portanto, deixe o Senhor lutar por você. Deixe Ele enfrentar a batalha que você, com seus próprios recursos, não pode vencer.

     

    Se você tomar essa decisão hoje, de maneira mais efetiva, verá o Senhor realizando milagres na sua vida e lhe concedendo surpreendentes vitórias.

     

    Bispo André Novaes  

     

      
  • Qual É O Seu Objetivo?

    Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras (Hebreus 10:24).

    Quando você se levanta pela manhã e enfrenta um dia, o que diz a si mesmo sobre as suas esperanças para este dia? Quando olha do começo ao fim do dia, o que deseja que aconteça porque você viveu?

     

    Se você diz: “Eu jamais pensei assim, apenas me levanto e faço o que preciso fazer”, então você está se privando de um meio básico de graça e de uma fonte de direção, força, fecundidade e alegria. Está claro na Bíblia, incluíndo nesse texto, que Deus deseja que nós objetivemos de modo consciente algo significativo em nossos dias.

     

    A vontade revelada de Deus para você é que, quando você se levantar pela manhã, não saia sem rumo ao longo do dia deixando que somente a mera circunstância dite o que você faz, mas que você objetive algo – que se concentre em um determinado tipo de propósito. Aqui, estou falando sobre crianças, jovens e adultos – solteiros, casados, viúvos, mães, e de todos os afazeres.

     

    A falta de objetivo é semelhante à falta de vida. As folhas mortas no quintal podem se mover mais do que qualquer outra coisa – mais do que o cachorro e as crianças. Se o vento sopra em uma direção, elas vão por esse caminho. Se o vento sopra em outra direção, elas vão por aquele caminho. As folhas caem, tocam no chão, saltitam, pressionam contra uma cerca, mas não têm objetivo algum. Elas são cheias de movimento e vazias de vida.

     

    Deus não criou os seres humanos à sua imagem para que estejam sem objetivo, como folhas mortas espalhadas no quintal da vida. Ele nos criou para que sejamos propositais – para que tenhamos um alvo e um objetivo em todos os nossos dias.

     

    Qual é o seu objetivo para este ano que se inicia?

     

    Baseado no devocional de John Piper

      
  • Os Sentimentos e Você

    Você já percebeu que temos a tendência de falar muito mais sobre os nossos sentimentos negativos do que sobre os positivos? Facilmente nos esquecemos das bênçãos e nos fixamos naquilo que gostaríamos que fosse diferente. Aquele que fala muito sobre seus sentimentos negativos aumenta a intensidade deles.

    Por isso, precisamos aprender a enfatizar mais as flores do que os espinhos.

    Na verdade os sentimentos por si só não são bons nem maus, pois eles não têm moralidade. Mas eles são instáveis e precisam ser administrados. Os bons sentimentos são agradáveis, mas os maus podem nos tornar infelizes.

    Se nos deixarmos ser controlados pelas emoções poderemos tomar decisões que mais tarde nos arrependeremos porque elas nos causarão problemas e dificuldades.

    Muitas vezes somos impetuosos e deixamos de fazer o que é certo tomados pela impulsividade. Mas o cristão deve agir diferente. O cristão precisa “morrer para si mesmo” para viver a vida que Deus preparou para ele por meio de Jesus Cristo.

    Quando recebemos a Cristo, Ele nos dá uma nova natureza (2 Co 5:17). Na verdade, Ele nos dá a Sua natureza. Ele ainda nos dá um espírito de disciplina, de domínio próprio e uma mente equilibrada (2 Tm 1:7). Isto significa que podemos pensar nas coisas mais adequadamente sem sermos controlados pela emoção.

    Por isso, peça a ajuda de Deus para fazer as coisas certas e com moderação. Sem Ele costumamos comer demais, gastar mais do que temos, falar mal dos outros sem pensar nos resultados. E depois que está feito e não pode ser desfeito, lamentamos tê-lo feito. Deus nos dá Seu espírito para nos capacitar a fazer escolhas certas e sábias. E muitas vezes as escolhas certas não têm nada a ver com os nossos sentimentos. Deixe-se guiar pelo Espírito Santo de Deus.

    Márcia Garcia

    (Saiba mais sobre como administrar seus sentimentos participando do EMA)

      
  • Deus e a Dor

    Onde está Deus quando eu sofro? Por que parece que Ele não se incomoda com a minha dor? Por que Ele permitiu que meu filho morresse? Por que logo meu pai foi acometido dessa doença devastadora? Onde está o amor de Deus no meio da dor?

    Estas e outras perguntas semelhantes questionam a competência de Deus. Elas assolam o pensamento e atingem o coração das pessoas que sofrem. Se você ainda não as fez a si mesmo, certamente as fará um dia, quando se deparar com os golpes de uma dor mais profunda. Muitas vezes a dor é tão grande que não conseguimos pensar direito. Não conseguimos orar e temos que recorrer ao Espírito Santo que ora por nós com gemidos inexprimíveis. Seria Deus mesmo responsável por todas as coisas que nos acontecem?

    O mundo está repleto de maravilhas. Basta observar um jardim na primavera, o céu pontilhado de estrelas, a diversidade de toda a criação. O mundo reflete a grandeza de Deus, como a pintura reflete o gênio do artista.

    Seria Deus tão ruim a ponto de macular um mundo tão maravilhoso ao incluir nele a dor? A dor põe em questão nossas crenças mais básicas em Deus. Seria Ele competente e poderoso? Seria mais fácil respeitar a Deus e confiar nele se a dor não existisse?

    Lembremo-nos de Jó um homem justo e temente a Deus que sofreu dores não merecidas. Se alguém merecia uma resposta sobre o problema da dor, este seria Jó. Mas nenhum pedido de desculpas acontece. Em vez disso, Jó recebeu uma lição de como pesquisar o Universo.  Leia Jó 38-41.

    Temos que considerar o problema da dor como um problema de tempo e não de poder. Temos muitas indicações de que Deus não está satisfeito com o estado em que se encontra este mundo, certamente Ele está tão insatisfeito quanto nós. Ele não gosta da violência, do arsenal de guerra, do ódio, do sofrimento. E, um dia, Ele pretende fazer algo a respeito de tudo isso.

    A questão da esperança é mencionada em todos os profetas na vida de Jesus e no Novo Testamento, ou seja, a espera por um grande dia em que um novo céu e uma nova terra serão criados para substituir os atuais. O apóstolo Paulo coloca o assunto desta maneira: “pois tenho por mim que as aflições deste tempo presente não se podem comparar com a glória que em nós há de ser revelada. Porque a criação aguarda com ardente expectativa a revelação dos filhos de Deus ... Porque sabemos que toda a criação, conjuntamente, geme e está com dores de parto até agora (Rm 8:18,19,22).

    Vivendo nos “gemidos” da criação destes tempos podemos nos sentir como Jó: ‘‘...mas Deus conhece cada um dos meus passos, se Ele me puser à prova, verá que sairei puro como o ouro’’ (Jo 23:10). Fomos chamados para confiar em Deus, mesmo quando todas as evidências se avolumam contra Ele. Foi-nos pedido para crer em um Deus que controla o universo e que tem todo o poder, a despeito do que pode acontecer.

    Não podemos cometer o engano de julgar a Deus pelo estado em que o mundo se encontra agora. Deus planeja um mundo muito melhor, um mundo sem dor, sem males, sem lágrimas e sem morte. Ele pede a nossa confiança nele e em seu poder para trazer-nos a nova criação.

    Márcia Garcia

      
free vector