Quaresma

Nestes dias somos convidados à reflexão mais detida e profunda sobre o significado e a importância da encarnação do “Verbo”. Deus se fez homem para o sacrifício expiatório necessário à nossa redenção. O pecado que criou a separação e a inimizade entre o homem e Deus só teria os seus efeitos afastados definitivamente pelo sacrifício de um homem perfeito.

Celebramos, assim, o amor que assumiu na cruz do Calvário os nossos pecados, sacrifício suficiente e único a que fosse restabelecida a nossa paz com Deus.

Neste tempo é, pois, necessário a reafirmação da aceitação do amor de Deus na cruz, diante da constatação de que não temos como nos salvar a nós mesmos. Tempo da humilde aceitação do sacrifício de Jesus por mim e por você, que nos assegura a eternidade que por nossas próprias forças não conseguimos obter.

Por isso, também, este é um tempo de renovação do arrependimento e da conversão, que são os passos que temos que dar para que a graça salvadora de Deus nos alcance. Tempo para que nos vejamos como verdadeiramente somos, com os pensamentos, ações e omissões que nos afastam do propósito de Deus para as nossas vidas. Tempo de reafirmação do desejo e da prática da mudança que nos revelará às outras pessoas como novas criaturas e verdadeiros seguidores de Cristo.

Por fim, a Quaresma também é o tempo da renovação de nossa esperança. Ele nos amou! Ele nos ama! Ele continua disposto a refazer a nossa relação, nos ajudar a consertar na vida o que for necessário, a caminhar conosco, a nos dar nova oportunidade, a nos conceder sentido para a vida e a certeza de que estaremos juntos, desde agora até à eternidade.

Rev. Marcílio Mota

Categorias: Mensagens - Catedral da Trindade, Mensagens - Home
About the Author